Skip to content

O que acontece se meu site não for responsivo?

O proprietário de um negócio online, além de pensar na qualidade do produto, na mão de obra, no processo de venda e pós-venda, na segurança na hora da compra, na logística de entrega e nas formas de pagamento, deve prever que ações irão possibilitar a venda de maneira mais imediata, e também, reduzir ao máximo o número de clientes que desistem de comprar ainda no carrinho.

Sem dúvida, todas as ações citadas devem receber atenção, mas uma em especial, muitas vezes, passa despercebida - a qualidade do site em dispositivos móveis (celular, tablet etc).

Você certamente já acessou algum site pelo celular, mas quanto tempo levou para encontrar o que queria? É comum abandonar um site nos primeiros segundos quando este não carrega. Porém, para quem tem foco em vender, um abandono pontual de um usuário pode ser o início de uma série de baixas na conversão de vendas de seus produtos.

A venda através da internet conquista ainda mais mercado a cada dia que passa, sobretudo de pessoas que preferem efetuar a compra por aplicativos mobile em vez de ir à loja física. Essa alteração no comportamento do consumidor já é uma realidade para centenas de brasileiros, que buscam o melhor preço (encontrado em grandes ofertas anunciadas por sites e aplicativos) e o conforto de receber o produto desejado em sua própria casa. Isso porque, segundo a revista Exame, em 2015, 41% dos internautas brasileiros usaram o seu smartphone para efetuar uma compra de produto físico. E esse crescimento não para por aí. Estima-se que o ano de 2018 será bastante produtivo para quem pensa em investir na otimização das páginas mobile, tanto no Brasil, quanto fora dele.

Segundo a Agência Uniom, até o fim deste ano, o número de aparelhos deve crescer cerca de 40%, chegando à marca de 236 milhões de aparelhos em uso no Brasil. E para citar um dado mundial, serão 8,2 bilhões de portadores de dispositivos móveis. Ainda segundo a

Uniom, em 2020, os tablets e smartphones podem ser responsáveis por 40% das vendas de comércio eletrônico.

Desse modo, é fundamental para as empresas de e-commerce, hoje em dia, ficarem atentas às atualizações no que diz respeito a sua área de atuação, porém, nem todas se preocupam com a experiência do usuário na hora da compra, inclusive por dispositivos móveis.

Pensando nisso, elencamos abaixo alguns pontos que fazem com que o usuário abandone um site ao acessá-lo via mobile:

Desktop no celular?

Quem já acessou um site informativo ou de vendas pelo celular e a aparência permaneceu idêntica a do desktop? Pois bem, acontece que assim o usuário precisará dar um “zoom” várias vezes na página até conseguir acessar o que realmente quer. O acesso, por não ser responsivo, pode durar bem menos do que se imagina, afinal, ninguém quer passar muito tempo em um local em que não vai encontrar o que procura, não é mesmo? Resultado? Haverá evasão no site sem previsão de retorno do usuário, que é o potencial comprador de seu produto.

Carregando…

O tempo de carregamento influencia, sim, na conversão de venda do produto. Uma página que demora a carregar consome mais dados móveis, o usuário perde tempo, perde dinheiro, fica insatisfeito e sairá à procura da concorrência.

Pecar pelo excesso

No mobile, a frase “menos é mais” tornou-se uma verdade. Excesso de texto, de ícones, de imagens, vídeos, e de informação, deixam a barra de rolagem extensa. Não é estratégico. Uma página de venda deve ser objetiva, sempre com um texto preciso que leva o usuário a tomar algum tipo de ação (call to action). Lembre-se: muitas pessoas utilizam os dispositivos móveis para operações rápidas e concomitantes a outras atividades. Quanto mais precisão e objetividade, melhor será.

Hierarquia

A disposição das informações e a funcionalidade, tanto no desktop quanto no mobile são importantes para o objetivo que se pretende. Se o foco é a venda, não se deve colocar imagens minúsculas na apresentação do produto. O texto não pode ter fonte muito pequena. Imagine como ficará a leitura numa tela que, dependendo do modelo do aparelho, varia de 4 a 11 polegadas. Que informações o usuário precisa ver primeiro e que outras são secundárias?

Estar atento aos detalhes pode fazer toda diferença no resultado quando se trata de melhorar a experiência do usuário em dispositivos móveis. A Avanz desenvolve lojas online com base no conceito “mobile first”, pensando primeiramente na performance de sua plataforma de E-commerce em tablets e celulares.

Por Jefthael Helano

--
A Avanz está há mais de 20 anos no mercado como uma das referências nacionais em soluções e estratégia online. Veja quem confia na Avanz e faça como eles, acesse: www.avanz.com.br!

Gostou das nossas dicas? Curta e compartilhe! :-D

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
5 + 0 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.